Dengue em alta no DF: veja principais sintomas e como identificar a doença em crianças

Proativa Comunicação - 21/06/2022

Segundo o último levantamento de maio realizado pelo GDF, foram registrados 387 casos de dengue em bebês com menos de um ano, o que representa 0,7% do total no DF e 1.280 casos em crianças de até 4 anos


Foto: Divulgação

Não bastasse um possível retorno do surto de Covid-19 e gripe, agora a dengue também está em alta em várias regiões do Brasil. Aqui no Distrito Federal, só neste ano, foram registrados mais casos da doença do que em todo o ano passado - com um aumento constante a cada semana. A Secretaria de Saúde do DF confirmou mais de 46 mil casos prováveis, sendo 387 casos de dengue em bebês com menos de um ano, e 1280 casos em crianças de até 4 anos.

Segundo boletim epidemiológico, a faixa etária com maior número de casos de dengue é a de pessoas entre 20 a 29 anos. No entanto, as ocorrências mais graves são em crianças menores e idosos. Os dados chamam a atenção e evidenciam a necessidade de um cuidado maior com as crianças. Segundo o pediatra Henrique Gomes, é importante redobrar a atenção com os pequenos.

Os sintomas de dengue em crianças maiores são semelhantes aos dos adultos: febre alta que pode durar de 2 a 7 dias, dores no corpo, dor atrás dos olhos, dor de cabeça, erupção e coceira no corpo além de manifestações gastrintestinais como vômitos e/ou diarreia. Já nas crianças de até 2 anos de idade, a doença pode se manifestar como síndrome febril inespecífica, com febre, apatia, choro fácil, irritabilidade e prostração.

O especialista pontua que os pais devem estar atentos às mudanças de comportamento e quadros de dores abdominais. “Nas crianças que evoluem com dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, sinais de sangramento na pele, irritabilidade e/ou letargia é importante que os pais levem imediatamente para o hospital”, explica Henrique. 

A avaliação clínica dos sintomas já citados e pesquisa por meio de teste rápido e sorologia específica para dengue garantem o bom prognóstico e indicação do tratamento adequado. Caso o diagnóstico seja confirmado, os cuidados devem ser redobrados: atenção para os sinais e sintomas de alerta; uso de medicamentos sintomáticos; evitar uso de medicamentos anti-inflamatórios e reforçar a necessidade de repouso e hidratação.

O pediatra detalha ainda alguns cuidados para evitar a dengue em crianças:
- Não deixar água acumulada;
- Usar terra nos vasos de plantas;
- Manter garrafas e recipientes de cabeça para baixo;
- O mosquito tem hábitos diurnos sendo recomendado uso de roupas para proteção além de repelentes compostos com DEET, IR3535 ou Icaridin;
- Uso de mosqueteiros.

Sobre o Dr. Henrique Gomes

Médico pediatra da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal desde de 2008, Henrique é pós-graduado em Lato Sensu em Doenças Funcionais e Manometria do Aparelho Digestivo no Hospital Israelita Albert Einstein. Com residência médica em pediatria pelo HMIB (2006 e 2007), além de atuação na área de Gastropediatria pelo HBDF (2008 e 2009), o profissional atua na área de Gastroenterologia Pediátrica, especialidade que auxilia o pediatra na assistência de crianças e adolescentes portadoras de sintomas relacionados ao aparelho digestivo, como náuseas, vômitos, diarreias, alergias aos alimentos, dores abdominais, constipação intestinal, entre outros. 

Atualmente, é médico pediatra da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal desde de 2008; médico pediatra do Grupo Santa (Hospital Santa Lúcia Sul e Taguatinga) e médico pediatra das clínicas PedCare e Le Petit.

Acompanhe o profissional no Instagram: https://www.instagram.com/meumedicopediatra/  

ASSESSORIA DE IMPRENSA – PEDIATRA HENRIQUE GOMES
Proativa Comunicação
E-mail: [email protected]proativacomunicacao.com.br
Twitter/Facebook/Instagram: @ProativaC

  • Compartilhe:
  • @