bars

Cia. víÇeras apresenta A solidão de não estar só - Release


Foto: Ajaya Ribeiro
Clara Camarano 22/07/2021

Espetáculo on-line, autoral e inédito entra em cartaz em julho. Gratuito. Classificação Indicativa 14 anos.

"Vim só botar água para ferver. Nem acredito que a gente está há 231 dias conectadas..." Em cena, duas atrizes que misturam a realidade com a ficção enquanto dialogam sobre a vida na pandemia e o mundo virtual. 

Daniela Diniz e Marcia Regina da cia. víÇeras, se juntaram à diretora Adriana Lodi para dar vida ao texto autoral A solidão de não estar só. Ensaiado via computador e celular nesses tempos de caos, o espetáculo on-line inédito entrará em cartaz em quatro sessões gratuitas. Dias 29, 30 e 31 de julho e 1º de agosto, às 20h. 

O link para assistir ao evento será enviado após reserva em: https://www.sympla.com.br/solidao-de-nao-estar-so__1272723.  Informações: Instagram: @ciaviceras.

Duas mulheres, Dani e Marcia, estão isoladas em suas residências fazendo companhia uma para a outra via internet. Juntas, porém distantes, elas lidam com questões humanas, situações cotidianas como uma máquina de lavar estragada e com as dores de se viver em um tempo em que tudo parece meio perdido e sem solução. Mas com essa convivência truncada da rede de wifi, elas conseguem lidar com os percalços da vida e trazer afeto e esperança no meio da solidão. Esse é o ponto central dessa obra que nasce do teatro, se mistura com as telas e vira um espetáculo "antropológico perfomático videocênico", como a equipe gosta de brincar.

"Após a cia. víÇeras completar 10 anos em 2020, resolvemos trazer essa obra que reflete sobre a complexidade das emoções de uma pessoa confrontada com ela mesma no isolamento. Este texto lança mão de algo que todes, de alguma forma, vivemos mesmo sendo um pouco diatópico já que as personagens passam 24h conectadas. Esse excesso de conexão atua como uma lente de aumento nas condições do mundo de hoje. A narrativa aproxima o público pela empatia, ou até por uma esperança de que tudo isso um dia realmente vai passar", pontua a atriz e escritora Dani Diniz.

A partir de um ensaio experimental feito para o SESC no ano passado, as atrizes entenderam que seria essencial um olhar externo cuidadoso e qualificado, e convidaram a premiada diretora brasiliense Adriana Lodi.

"Estar criando em/nas entretelas é um desafio, principalmente para encontrar estados

de presença já que as quedas de redes de internet, interferências domésticas e

a própria tristeza avassaladora deste momento influenciam. Foi preciso compor

essa linguagem híbrida em plataformas digitais e de teatro. Mas, encaramos as dificuldades juntas e tentamos encontrar soluções estéticas simples que garantam a empatia do público", ressalta a diretora Adriana Lodi. 

E para garantir a qualidade, o técnico Leonardo Rodrigues chega para agregar e dar luz à peça. Leonardo vale-se de recursos tecnológicos que, misturados a uma cenografia naturalista, compõem o espetáculo onde as próprias atrizes operam as luzes e câmeras.

"Quem nos assistir vai ver que este espetáculo acontece em diferentes momentos e dias, percorrendo essa trajetória de extensão da pandemia da Covid-19. É desafiador fazer teatro e artes performativas para tela, sobretudo porque hoje tudo está na tela. Confesso que me cansou muito o processo, mas também é a nossa esperança de continuar trabalhando. Se não fosse por essa plataforma, seria horrível ter que deixar de fazer o que amamos", declara Marcia Regina.

A produção A solidão de não estar só conta com o apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC-DF). Para promover a acessibilidade, o grupo trará ainda tradução em libras.

 

 

FICHA TÉCNICA

cia.  víÇeras apresenta

A Solidão de Não Estar Só

direção:  Adriana Lodi

atuação:  Daniela Diniz e Marcia Regina

argumento original:  Daniela Diniz e Marcia Regina

roteiro: Adriana Lodi Daniela Diniz e Marcia Regina

Coordenação técnica e  virtual: Leonardo Rodrigues

edição de vídeo: Marcia Regina

assistente de edição de vídeo: Daniela Diniz

fotografia de video:  Adriana Lodi e Leonardo Rodrigues

imagens adicionais: Daniela Diniz e Marcia Regina

direção de arte:  Adriana Lodi, Daniela Diniz, Leonardo Rodrigues e Marcia Regina

fotografia de divulgação: Ajaya Ribeiro

assessoria de imprensa:  Clara Camarano

coordenação de redes sociais:  Maria Luisa Dominici

design gráfica: André Gonzales

intérprete de libras: Tatiana Elizabeth

gestão administrativa: Beth Pereira

 

participações especiais:

 

dia 231 - Música 

Meu Melhor de Moara

 

dia 325 - Vídeo Incidental

Fala de Mãe Dora de Oyá

canal Afrolatinas - vídeo Empreendedorismo decolonial: o legado da Irmandade da Boa Morte 

 

dia 633 - Música

tempo de Tati Asu

 

dia 405 - Música

atmos de Tati Asu

 

dia 76 - música

Mashup: Ítalo Linhares

 

Este projeto conta com o apoio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal por meio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC-DF)

 

Cia. víÇeras 

Fundada em 2010 na capital federal, a cia. víÇeras ficou conhecida por desenvolver uma investigação artística autoral e colaborativa. Atualmente formada por Daniela Diniz, Marcia Regina, Ramon Lima e Roberto Dagô, a cia trabalha com diferentes linguagens cênicas e artísticas como teatro, dança e audiovisual. Em 11 anos de trabalho, o grupo realizou oito espetáculos, sete intervenções performáticas e seis videoartes. Saiba mais em: ciaviceras.com. Acompanhe o grupo no Instagram: @ciaviceras.

 

 

Serviço: 

A solidão de não estar só

Datas: 29, 30 e 31 de julho e 1º de agosto

Horário: 20h

Gratuito

Ingressos retirados gratuitamente em: https://www.sympla.com.br/solidao-de-nao-estar-so__1272723.

 

Classificação indicativa: 14 anos

Informações: Instagram: @ciaviceras

site: ciaviceras.com

telefone: 61 98168-3872