• Segunda-Feira, 25/01/2021
  • Brasília, C
Entretenimento, informação, crônicas, horários de ônibus e muito mais. Tudo em um só lugar.
Brasília é Aqui: Entretenimento, informação, crônicas, horários de ônibus e muito mais. Tudo em um só lugar.

Governo e Economia - Edição Novembro 2020 - De Brasília

Quer estar por dentro das últimas notícias sobre a política de Brasília e também em relação a outros temas, que vão desde economia até questões relacionadas às eleições?

Então continue a leitura deste post até o final e confira um pouco do que tem acontecido no DF!

Aqui você irá encontrar dados sobre a queda do Dólar, sobre a segurança das urnas eletrônicas e muitas outras notícias, confira!

Governo e Congresso priorizam eleição legislativa e travam pauta econômica

A equipe econômica não está conseguindo avançar com seus projetos, dentre eles a ampliação do transporte marítimo de cabotagem pela costa brasileira e as mudanças na estrutura do serviço público.

Isso acontece, pois o Presidente da Câmara Rodrigo Maia quer dar prioridade a outros projetos, como o PEC Emergencial e a reforma tributária.

No entanto, estas duas propostas possuem poucas chances de aprovação antes das eleições no Congresso, que ocorrem em fevereiro.

O Presidente Jair Bolsonaro tentou intervir para que houvesse a aprovação do projeto de cabotagem, mas Rodrigo Maia exige que haja consenso entre os partidos para que a votação aconteça.

O Presidente da Câmara acredita que esse projeto é o responsável pelo travamento da pauta do plenário, sugerindo que ele fosse substituído por outros, reduzindo a lentidão nas votações.

Porém, diversas outras pautas econômicas, como o orçamento para 2021 também foram afetadas pela paralisação. Assim, somente após as eleições da Câmara é que a verba será liberada para despesas não obrigatórias, após análise orçamentária.

Essa instabilidade provocou ainda um atraso nas discussões e reformulações para o Bolsa Família, o qual estava previsto para ser incluído no PEC Emergencial, aumentando as despesas na área social e reduzindo gastos obrigatórios.

Dólar muda de rumo e é negociado em queda

Nesta segunda-feira (07/12) o dólar fechou com uma queda de 0,10%, sendo cotado a R$5,1184, a menor cotação feita desde o dia 22 de julho.

O valor máximo chegou a R$5,1701 e no valor mínimo do dia, a R$5,0572, sendo que houve um recuo de 4,27% no acumulado do mês, mas não deixou de ter uma alta no ano de 27,65%.

A queda foi causada por uma tensão entre Estados Unidos e China, a qual teve um aumento de suas exportações em 21,1% durante o mês de novembro, quando comparado com os últimos três anos.

Isso significou que a China obteve uma recuperação firme de sua economia.

Agora com relação à economia brasileira, a estimativa de inflação para 2020 teve um crescimento pela 17ª semana seguida, chegando a 4,21%, de acordo com informações de diversos analistas do mercado financeiro.

Isso fez com que o percentual ficasse acima da média central programada pelo governo, que era de apenas 4%.

E quanto à projeção para o tombo do PIB, sofreu uma redução, passando de 4,50% para 4,40%, e a taxa de câmbio foi de R$5,38 para R$5,22.

Recuperação da economia é trunfo incerto para a reeleição de Bolsonaro

Uma das maiores apostas do atual Presidente Jair Bolsonaro para sua reeleição em 2022, é a melhora na economia, segundo previsão da equipe econômica, a qual lançou estimativa de aumento do PIB de 3% e % nos anos de 2021 e 2022.

Essas informações tiveram como base a análise do Ministro da Economia Paulo Guedes, o qual afirmou que houve um crescimento econômico, mesmo que abaixo do esperado no mercado.

No entanto, devido às novas possíveis paralisações para evitar a contaminação pela COVID 19, o futuro neste sentido é incerto.

Assim, o país poderá passar por dificuldades que exigirão decisões complexas por parte do Presidente.

E mesmo que as vacinas preventivas sejam distribuídas no começo de 2021, não se sabe ainda em que ritmo as pessoas serão imunizadas, fazendo com que haja um impacto negativo quanto à oferta de novas vagas de emprego.

Além disso, o encerramento do Auxílio emergencial e a falta de verba para o lançamento do Renda Brasil, provocou um desamparo em muitas famílias que dependiam destes valores para movimentarem o consumo.

Existem ainda outros projetos que são capazes de causar impacto, como a reforma tributária e o PEC Emergencial.

Porém, estes ainda não foram aprovados devido às disputas realizadas pela presidência da câmara.

Mas estes projetos são uma das diversas formas que o Presidente encontrou para garantir a melhora nos gastos, trazendo maior confiança para diferentes investidores do mercado internacional.

Com as incertezas trazidas por uma possível contaminação do coronavírus, Bolsonaro aposta em um programa novo para concessão de renda ou então na reformulação do Bolsa Família, a fim de manter sua popularidade e permitir que a situação econômica do país volte a se tornar estável.

No entanto, apesar da descrença de muitos, com uma mudança na maneira de conduzir o governo, Bolsonaro pode sim atingir esse objetivo e conseguir a reeleição.

Urna brasileira não é hackeável – afirma o presidente do TSE

Segundo informações do Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, a urna eletrônica, utilizada nas eleições em todo o país não é hackeável.

Esta declaração foi feita em entrevista para o jornal Folha de São Paulo, após contestações relacionadas à segurança dos votos, os quais deveriam ser impressos e não eletrônicos.

Ele afirma ainda que, desde o começo de sua utilização, durante as eleições de 1996, não houve nenhuma alegação de fraude fundamentada, o que faz com que ela se revele bastante segura.

Antes de dar início às votações, é impresso um relatório chamado de “zerésimo”, o qual demonstra que nenhuma informação havia sido registrada antes dele.

Quando as votações são encerradas, após as 17h, se imprime um novo relatório, chamado de “boletim de urna”, o qual registra toda a movimentação feita e fica disponível nas seções eleitorais para quem desejar conferir.

Ele afirma ainda que todas as instituições podem estar sujeitas a invasões, porém as urnas não são ligadas à internet, o que faz com que ela não seja hackeável.

Segundo o Presidente do TSE, o voto impresso sim é que oferece riscos de fraude.

 

Neste post você pôde conferir as últimas notícias sobre a política de Brasília, de modo a ficar por dentro de um pouco do que acontece no DF e no Brasil.

Deixe sua opinião sobre estes assuntos aqui embaixo nos comentários...


Horário de Onibus

Indique o número da linha ou nome da cidade.

Informações disponibilizadas por Horário de Onibus DF

www.horariodeonibusdf.com.br