Homens em Carvão - Projeto artístico repercute nas redes

Assessoria Men in Charcoal - 11/01/2021

Projeto do artista Wilton Oliveira ganha as redes e conquista mais de 10 mil seguidores ao apresentar desenhos de homens reais em carvão, mostrando as potências e as fragilidades da masculinidade, além de propor uma reflexão sobre o que é ser homem na atualidade.


Via Assessoria

O “ARTBOOK – Homens em Carvão” (Men in Charcoal em inglês) é um livro de arte/protesto. Uma tentativa de desconstruir o padrão do que o que é ser homem nos tempos atuais. Além dos retratos e reflexões de cada modelo sobre o que é ser homem, o livro conta também com pequenos aprendizados sobre a masculinidade frágil, sobre a diversidade dos corpos dos homens e sobre como foi trabalhar com o carvão ao longo do ano. 

O projeto ganhou força nas redes, revelando a intimidade e a diversidade desses homens. São sujeitos brancos, pretos, cis, trans, gordos, magros, atléticos, afeminados ou masculinizados. Eles ensinam significados do que é ser homem e das diferentes masculinidades.

Tendo início no ano passado, o "Me in Charcoal" surgiu após uma chamada aberta pelo Instagram. Durante o mês de abril de 2020, mais de 85 voluntários se inscreveram. No início, houve dificuldade do artista em encontrar modelos com diferentes biotipos. Para manter o conceito de diversidade do projeto, alguns precisaram ser convidados diretamente. A nudez não foi obrigatória, porém, mostrar o corpo nu foi e tem sido interessante justamente por dialogar com a ideia e desconstrução dos padrões e do conservadorismo.

Homens do Brasil, Espanha, Estados Unidos, Costa do Marfim, França, Inglaterra, México, Taiwam e Turquia fazem parte das ilustrações que ganharam as redes sociais e a adesão e respeito de outros artistas brasileiros que trabalham com as múltiplas variações do desenho e da ilustração.

Por que e desenhos com o carvão? Wilton responde:

“Porque, assim como o homem, ele sente. O carvão entende meu estado de espírito e me ajuda a criar uma conexão com cada modelo. O resultado é sempre diferente porque a energia do momento é única. Foram meses trabalhando e me redescobrindo com esse material. Quase que diariamente enfrentei o desafio de representar uma outra pessoa. Vocês já pararam para pensar na expectativa que a gente gera nos outros e em nós mesmos quando retratamos alguém? E se essa expectativa não for atingida? Apesar dessa “batalha” entre expectativas externas e internas tem sido uma experiência incrível.”

O próprio ilustrador já foi desenhado nu por outros artistas nos projetos  “Com a cabeça ocupada”, de Fábio Lopes (@oflopes), e  “Les Garçons Bleus”, de Francisco Bianchi (@lesgarnconsbleus). Além disso, participou da experiência fotográfica/multisensorial através do “Tempero da carne”, idealizado pelo artista Julio Leão (@temperodacarne)  Essa experiência em também se expor faz todo o diferencial quando se retrata a nudez e a fragilidade alheia. 

O Men in Charcoal já acumulou mais de 300 horas de produção, afinal, são muitos desenhos. Para que todo o material chegue mais próximo do público, foi realizada uma campanha de impressão do livro físico. Essa campanha teve início em 1° de dezembro do ano passado já tem mais de 80% da meta pré-estabelecida na plataforma de financiamento coletivo.

As pessoas que contribuírem terão recompensas, que vão desde o livro até a participação como um dos modelos em carvão.  O financiamento coletivo está na modalidade TUDO OU NADA. Isso significa que se a meta não for batida em até 60 dias, todo o valor é devolvido para os colaboradores de forma automática.

Restam pouco mais de duas semanas para o fim da campanha, que já arrecadou mais de 80% da meta estabelecida de R$20.690,00. Quem quiser acompanhar o projeto é só entrar no instagram @menincharcoal ou no site da campanha:

https://www.catarse.me/menincharcoal

  • Compartilhe:
  • @